16 de agosto de 2005

Nem mais nem menos

HÁ alguns anos, estava eu no trânsito, exatamente na Rua Butantã, em frente ao INSS. Tudo parado [inclusive o INSS], não se saía do lugar, comecei a olhar para os lados. Eis que vejo dois homens carregando suas sacolas, quietos, andando lado a lado no mesmo passo. Pararam, puseram as sacolas no chão, concordaram com a cabeça e começaram a tirar as coisas de lá de dentro. Tudo o que precisavam para viver [viver dessa maneira, na rua... mas via-se que, nesse caso, tinha sido feita uma escolha] estava lá: nem mais nem menos. Arrumaram seus cobertores no chão, se ajeitaram e dormiram.
SÁBADO fui ouvir uma palestra de um professor de Yoga, o sr. Shimada, um japonês de cerca de 80 anos. Ele ia falar sobre sua peregrinação na Índia, mas acabou falando de como complicamos nossas vidas, sempre queremos mais e mais, somos eternos insatisfeitos. Claro que não foi a primeira vez que ouvi isso, mas, nesse momento, me lembrei dos dois andarilhos da Rua Butantã. Simplificar é muito mais difícil que complicar, exige muita coragem: nem mais nem menos.
[[Estou ouvindo a trilha sonora do filme O pianista: excelente, como o filme. Muito Chopin interpretado pelo polonês Janusz Olejniczac e a última pelo próprio protagonista, Wladislaw Szpilman.]]

7 comentários:

Anônimo disse...

Hêlo,
Sou e não sou como o seu amigo Anonymous, que deixou um recado pra você num post abaixo...

Sou porque, não sou terrostita, nem maníaco e entrei no blog porque gostei do nome.

Não sou porque, sou seu amigo dos tempos de colégio e não sou desconhecido ou será que sou já que faz muito tempo que não nos falamos...

Mas o que eu gostaria de dizer é que na revista TRIP deste mês tem um encarte sobre FELICIDADE e tem umas passagens onde o autor foi muito feliz, se você puder da uma conferida.

Bjs

Helô Beraldo disse...

Ah não! A curiosidade não agüenta mais um Anonymous... Minha memória é boa, rs, assina da próxima vez, tá? Vou conferir o texto da Trip. Bjo

Selma Consoli disse...

É Helô, é uma escolha nossa ter ou não uma complicada.
Às vezes por falta de visão, de esperança, por cobiça... não sei bem... não enxergamos que a vida pode ser simples, boa e linda.
Tem gente que não consegue viver uma vida descomplicada, não saberiam lidar com ela.
Mas como os moços da Rua Butantã, tento todos os dias escolher um jeito fácil de viver, que é viver o gde amor, ter os amigos bem próximos de mim e esquentar o menos possível com a vida.
É difícil, às vezes eu vacilo, mas na maior parte tempo tento ver o lado bom de tudo e assim, como diz o Zeca Pagodinho... deixo a vida me levar...rs
Tente de vez em qdo fazer o mesmo...
Bjs.

Helô Beraldo disse...

É Selminha, às vezes eu vacilo... Mas minha personalidade Poliana volta à tona sempre, né? Todos os programas do Bozo a que assisti me lembram do lema "sempre rir, sempre rir", que entrou de tal maneira, como osmose, que eu quase já virei um saquinho de risadas [palhaça não! rs]. Agora só falta num tentar descomplicar os outros, deixar essa Amélie Poulain sair de dentro de mim, hahaha! Obrigada pelos seus comments! Bjo!

Selma Consoli disse...

Helô tanto Polliana qto Amélie Polan foram personagens que eu gostei muito.
A primeira, difícil acreditar que alguém seja 100% como ela... não devemos aceitar passivamente as coisas, já a outra eu realmente admirava o jeito dela de dar jeito em tudo e em todos.
Forma infalível de colocar todos na linha, mas lembre-se, em algum momento da vida, Amélie resolveu arrumar a própria vida e arranjou de um modo muito criativo, um jeito de conquistar um gde amor.
Ela foi muito complicada, mas no final deu certo. O conselho que dou... seja o menos complicada possível vc tbm e arranje um gde amor.
bjs

Helô Beraldo disse...

Selma, você é a versão feminina e brasileira do M. Dufayel, o homem de vidro, na minha vida, rs. Mãos à obra, pó deixá! Vou tratar de pensar menos, agir mais e quebrar com antigos padrões (se é que você me entende...), hein? Me aguarde, hahaha! Bjo!

Anônimo disse...

Bem, eu era um pentelho, vivia te enchendo o saco e com todo respeito, você ficava linda de maio azul...

Ta fácil hein...
Bjs