25 de agosto de 2005

Expressos maktub

Glup 1:
COINCIDÊNCIAS, ou não, esses tempos estão permeados delas. Às vezes me assusto com os acontecimentos que eu, de certa forma, intuo. [Selminha, a barraquinha continua nos meus planos!] Lembram que falei do professor de Yoga, o sr. Shimada? Lembram que falei que minha cabeça funciona a duzentos por hora e que preciso meditar para desacelerar e focar? Lembram que eu falei de coincidências? Pois é! Eu, que estava numa fase revolts com orkut, msn e afins, me sentindo muito exposta, comprei hoje a revista Bons Fluidos [não sei por que espero o fim do mês chegar para comprar as revistas do respectivo...] e vi lá detalhes tão pequenos de minha vida, impressos e nas bancas de todo o Brasil. [rs] Meus amigos e minhas amigas: até um comentário que fiz sábado ao meu professor! Brincando, disse que a tendência é buscarmos cada vez mais referências no passado, que o mundo está nostálgico e o design não vai conseguir fugir disso... [sério, estou boquiaberta! tem uma matéria sobre isso lá!] Tem também fotinho do prof. Shimada! Tem previsão para o segundo semestre e já está acontecendo tudo! Maktub, está escrito! [rsx10]
Glup 2:
PENSANDO que eu ainda quero ser Fellini quando crescer e zapeando os canais da TV, parei no "Film & Arts" e vi [da metade ao fim] o documentário sobre um fotógrafo, William Claxton, e também quero ser ele quando crescer. [[http://www.williamclaxton.com/movie.html[Mon ami, você vai adorar! Sua foto do msn tem tudo a ver com o que ele faz: fotografa o músico enquanto ele toca, para captar o espírito da música e do músico, hein? rs]] Ele fotografou os maiores nomes do jazz e, acreditem, isso não é o melhor! Para fotografá-los ele era obrigado a ir a todas as apresentações, gravações de discos, etc., para fazer as fotos! Imagina, gente! Aquelas fotos famosas do Chet Baker: ele que as fez! As melhores da Billie Holiday: ele também! Hoje liguei a TV e pensei nele; pasmem: estava começando a passar o mesmo documentário! Vi do começo à metade, genial! Em um certo momento, ele estava no escritório do Helmut Newton e eu pensei: não quero ser o Helmut Newton quando crescer; ele é muito frio, sarcástico, seco. O Claxton se envolve com o que fotografa, faz amigos, é sensível, capta a essência, ouve música em tudo. Minutos depois os dois fizeram esses mesmos comentários! [Isso não foi coincidência, mas foi bacana, vai?! rs]
Glup 3:
SEM mais no momento, agradeço-lhes a paciência para com a leitura deste meu post. Enquanto ser humano, confesso que estou cansada, prolixa e um pouco abestada... [seja lá o que isso quer dizer!] Aguardo ansiosamente comentários os mais diversos. Atenciosamente, Helô.
[[[Revisei o Livro da Jângal [a história do Mowgli], adorei, rs! Deveria ter lido quando era pequena, mas até que valeu para minha fase quase balzaquiana e nostálgica... Recomendo só para quem tiver tempo! [Já aviso que o desenho não é a mesma coisa! :o(]]]]

13 comentários:

Anônimo disse...

Espero que você nunca cresça. E continue sendo Helô. Tá bom assim.
NymousOne

Anônimo disse...

Fase nostálgica... Normalmente é tempo de transição, não? Acredito que mudança gera essa sensação. Já consegui separar claramente minha vida em 5 etapas. Já tenho minha preferida. Isso não é das melhores coisas, pois se já tenho a preferida significa que já passou. Espero definitivamente consolidar a entrada em uma nova etapa agora! Ah mudança! Eta nostalgia!
NymousOne

Helô Beraldo disse...

É, não é das melhores coisas eleger uma etapa da vida como a melhor quando ela já passou. Vamos mudar o foco: a melhor etapa ainda virá, pois [a não ser que você esteja quase no bico do corvo, rs!] haverá a sexta, sétima, oitava, etc., não?
Tempos de mudança, sim; quero a nostalgia, mas em doses micro-homeopáticas, só para a mudança não ser muito brusca!
Concordo com você, tô bem assim! [rsrsrs, modéstia à parte... rsrsrs] Mas crescer eu quero, todos os dias. A admiração vem da identificação com o outro ou com a coisa, né? Devo ter alguma coisa deles em mim, hehehe!
Boa sorte na nova etapa, que acredito será a melhor! [nós, sagitarianos, somos sempre otimistas!!!]
[[continuo adorando seus comentários e ainda acho que te conheço.]]

Luciano disse...

Hey! Os comentários por aqui andam sérios demais para mim! :)
Deixe-me ver... segundo as estatísticas atuais eu tive 4 etapas. A 2 e a 3ª foram tenebrosas! Então, agora está tudo bem...
E você, Helô, está melhorando etapa por etapa, não?

Luciano disse...

Ah, sobre o Glup 1:

O Orkut é do mal!
Mais uma coisa: O Orkut é do mal!
Mais uma coisa: O MSN também!

(Dublado pelo cara que faz o tio do Jackie Chan)

Luciano disse...

Uma última (juro que eu paro depois desse!), sobre o glup 2:

e que tal o Henri Cartier Bresson?

Helô Beraldo disse...

Oi, Lu! Bom, ainda não sei dividir por etapas a minha vida, acho que não quero... Às vezes penso que você e o João têm razão. E o Google maps, conhece? Assustador! Quanto ao Bresson, três palavras: vanderful, felomenal, magavilhoso! Bjo

Helô Beraldo disse...

Ah, Lu [rs], eu sempre tento melhorar!

Anônimo disse...

Claro!!!
Crescer sempre. Novidades, mais que sempre. Etapas melhores sempre virão.
Tá bom! Pode crescer, mas não seja nenhum outro, só você. Admire, almeje, alcance, cresça, acrescente, mas continue Helo, tá?
NymousOne

Ah, você não me conhece não. Coincidência? Só no niver...

Helô Beraldo disse...

Já é uma grande coincidência! [[tudo bem que você deve ter me encontrado na comunidade "nascidos em 9 de dezembro", mas isso a gente releva![categoria coincidência induzida]] Outras, que não sei se posso considerar coincidências, é que você é gente boa [rs] e eu gosto da maneira que você escreve! Bom final de semana!

Anônimo disse...

Ha ha ha! Muito perspicaz, porém óbvio demais. Hã?
Não seria a maneira sagitariana de me surpreender com sua existência. Muito artificial!
Bom final de semana!
NymousOne

Helô Beraldo disse...

"Hã?", mesmo! rs Vou mudar seu apelido para Mysterious one, que tal? Muchas gracias!

Leonardo Sauaia disse...

Aceite as tardias palavras de um ateu. Tudo acontece em harmonia; coicidências não existe. Às vezes um de nós toca a nota errada, ou sai da coreografia, ou digita a letra errsda. No entanto, na maior parte do tempo, a peça acontece sem erros. infelizmente, nem sempre estamos atentos a perceber a graça e perfeição encontradas nas performances dos seres vivos. Tanto que, nos poucos momentos em que isso acontece, precisamos criar uma palavra que significa nada mais que: aconteceu junto. Agora, me diz: o que no mundo não acontece junto?