16 de outubro de 2007

Paperwall

No marco zero de toda cidade com mais de um milhão de habitantes tem um Paperwall.
Ele é feito do papel e seus parceiros. Papel de carta, papel de rascunho, papel de entrega, nota fiscal, papel de embrulhar carne, pão, peixe, papel jornal, papel-papel. Seus parceiros são o sangue, o verbo e a cola que mantém a estrutura firme.
Segundo as estatísticas, ele recebe mais de mil e quinhentas visitas por dia. As pessoas vão lá para reciclar seus sentimentos. Despejam sobre ele desamores, dores, rancores. Raramente despejam felicidade. Vão visitá-lo para obterem respostas e, quando isso não acontece, atiram pedras e choram nele. Algumas pedras conseguem transpassá-lo, tamanha a fúria do mundo. Apesar da vedação da cola, as lágrimas o incham e depois o encolhem, mudando sua estrutura.
Mas o Paperwall não se importa com as invasões na sua matéria. Até fica feliz, porque faz com que ele mude um pouco mais a cada dia. Os buracos são seus preferidos, pois faz com que as pessoas possam se ver e se reconhecer. Porque tanto a dor quanto o amor podem estar lá. Tudo se transforma. Quanto às lágrimas, ele diz que são necessárias. Está escrito em um dos jornais que o constitui, que lágrimas evitam a explosão interna de um ser humano – humano. Se você pensar bem, parece que tem um embasamento científico essa informação.
Hoje fui visitá-lo bem cedo. É impressionante o quanto de vida tem lá! Colei uma carta de amor do lado esquerdo e um desenho colorido do lado direito. Chorei um pouquinho, abri um buraquinho com uma agulha bem fininha e prometi voltar logo-logo pra contar as novidades.

6 comentários:

Toma disse...

Ola, Helô!
Muito obrigado pela visita e comentário!
Só pelo título, já gostei do seu blog! Café é um dos meus companheiros de prancheta!
É uma pena que tenho pouco tempo pra poder ver tudo por aqui. Vou te visitando aos poucos, tomando pequenas doses...
Seu sobrinho é super talentoso!
Ah, pode me linkar, sim!
Fico honrado! Vou fazer o mesmo!
Té mais! Bjs!

Helô Beraldo disse...

Oi, Toma!
Café é o melhor companheiro de jornadas, né não? Passe por aqui sempre que puder!

Adorei seu blog, mesmo! Música, desenho: maravilhas!

Obrigada pelo elogio ao meu sobrinho. Também admiro muito o que ele tem feito. Esse negócio de desenho digital em 3D ainda é meio doido pra mim, hehehe!

A honra é minha! Já linkei!
Beijo!

Anônimo disse...

Faz tempo que não escreve. Estou com saudade dos seus textos!

Helô Beraldo disse...

Hei! Você não é o Anônimo oficial deste blog, é?

AI disse...

não, não era. rs
Puxa, como me perdi nas ilusões do dia a dia! quanto tempo passou! Quantos textos ainda não li! E momento que perdi!
Mas me resta o lado bom de ter agora um vasto material para me entreter. Já volto!
Bjs

Helô Beraldo disse...

Eita! Que alegria!!! Você tá longe, hein? Espero que esteja bem!Vamos ver se você vai voltar logo mesmo... Hehehehe! Beijo!