25 de junho de 2007

Há alguns dias sem vontade de falar, sem ter o que dizer, amante do silêncio.

Arrumo a casa, jogo fora 5 sacolas cheias de papel. Entre os papéis poemas, cartas, desenhos, rabiscos de letras, notícias velhas.
Resolvidas as poucas pendências, fica a abertura. É tanta liberdade e não sei o que fazer com ela. Não quero perder tempo, mas tenho de saber respeitá-lo.

O silêncio, então, me pede pra dormir. Fecho os olhos e, com a cabeça doendo, as imagens começam a aparecer em vermelho e preto:

# Vista da cidade à noite com as luzes acesas, tudo virando até ficar de ponta cabeça.
# Disco voador que emana luz vermelha, homem alado que se transforma em luz , sobe e desce transformado em raio.
# Milhares de mãos pretas com unhas vermelhas que tentam alcançar alguma coisa [sabe-se lá o quê...].

Acordo sem conseguir abrir os olhos, com dor de cabeça e a cabeça a mil. Ganho um carinho nos cabelos, um beijo, um sorriso e tento retribuir com um sorriso tranqüilo. Mas não quero falar, não quero acordar, durmo de novo. Desta vez as imagens vêm coloridas:

# Casa de tijolos pintada de branco com grandes janelas de madeira. Entro na casa e ela se divide em partes: janela-porta-parede-telhado-chão.
# Vou direto à janela e, em cada vidro, aciono botões que abrem universos ilustrados. A família, os amigos, os amores, as pessoas que passaram rápido na minha vida, quem eu queria ter conhecido e os desconhecidos.
# Na porta os sentidos, na maçaneta a memória, na fechadura o amor.
# Nas paredes cenas do cotidiano, de anos, que não devem ser esquecidas.
# No telhado um galo português indicando as direções e os ventos. Sento ao lado dele e olho para o chão. Tudo é translúcido e no chão só vejo a base: a terra cor de tijolo.

Abro os olhos mais uma vez, sem a dor na cabeça, preciso ir embora. Ganho mais carinho nos cabelos, mais beijos, mais um sorriso.
Já esse sorriso é meu e vem do sentir o que o silêncio quis me lembrar: o quanto é bom ser livre e gostar de alguém.

7 comentários:

carola trimano disse...

Helô!!Li dois posts e já estou com o pé na estrada...
Gostei muito do que li!!!Mesmo!!!
Palavra forte, verdadeira e muito sensível:adorei!
Legal ter vc por perto voando com o Pássaro! bjs e sortes
Carola

selma disse...

Helô, vc escrevendo cada vez melhor, já te disse isso, mas vou repetir.
Vc esta escrevendo muito bem... adorei seu texto...
Beijocas
Selma

selma disse...

Helô, vc escrevendo cada vez melhor, já te disse isso, mas vou repetir.
Vc esta escrevendo muito bem... adorei seu texto...
Beijocas
Selma

Bárbara ( (Beraldo) sua prima, por acaso. ahaha) disse...

Helô, minha reticente prima-nuvem-poesia (hmmm, não sei, pensei em colocar 'poetisa', mas nesse momento veio de relance para mim que quando você escreve algo, passa a ser não só seu autor, mas, a obra em si, né?), estava a vagar por perfis orkutianos, então vi o seu. Fiquei curiosa pelo simpático 'www.umaxicara.blogspot.com', e, bem... estou aqui. Hahaha.
Adorei o blog, estou devorando-o.
Pretendo um dia, usando como ponto de partida a minha paixão por letras, ser tão boa quanto você.

Manda beijos pra todos,

Babi.

Helô Beraldo disse...

Babi,

Você já é melhor! :)

Beijos!

Anônimo disse...

Que bonito tudo isso, Helô!
beijão

Helô Beraldo disse...

:o)! Beijo!