11 de agosto de 2006

Queria ter nascido nos anos 30, andar a pé no centro da cidade, ir ao cinema de luvas brancas, vestido de veludo verde petróleo e bolsa de mão. Com um lencinho branco, tiraria o suor da testa para fazer charme a um rapaz moreno e elegante. Num fim de tarde, pegaria o bondinho com ele e ele me acompanharia até o portão de minha casa, me beijaria a face e espararíamos as surpresas do dia seguinte.

2 comentários:

Dagoberto Antonio disse...

suspirei em 'esperaríamos as surpresas do dia seguinte', não sei se pêgo pelo não-tempo... Parei no bonde e no sobrevôo dos passarinhos...

Helô Beraldo disse...

Que legal! Um leitor que eu não conheço! Agora são 7, número cabalístico! Bem-vindo! :o)!